Sete dicas para preparar um café mais saboroso e saudável
12/8/2013 - Minha Vida

Quem sabe fazer café pode até falar que não existe qualquer segredo no preparo, mas isso não é verdade. Quem nunca foi vítima de um café praticamente intragável ou tomou um café que valeu uma segunda rodada? E a questão pode estar muito além do equilíbrio entre água e pó. A qualidade dos grãos, o tipo de água, a forma de filtrar e até os complementos podem mudar completamente o sabor da bebida. Por isso, buscamos dicas com verdadeiras experts no assunto que ensinam passo a passo de como preparar um bom café. Assim, além de aproveitar uma bebida deliciosa, você ainda se beneficia das substâncias antioxidantes presentes na cafeína, que atuam na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer, depressão e até diabetes tipo 2.

Água precisa ser filtrada

Segundo Beatriz Cintra, gerente do Café Raiz, eleito um dos melhores cafés de São Paulo, o tipo de água usado no preparo do café é muito importante. A água de torneira, mesmo depois de aquecida, pode conter pequenas partículas sólidas que podem alterar o sabor da bebida. "Por isso, prefira água mineral ou filtrada", recomenda. Se a máquina de café ainda oferecer filtro interno, melhor ainda.

Café bom é tomado puro

Um café de qualidade não precisa ser adoçado. Açúcar ou adoçante servem apenas para mascarar o sabor e as propriedades da bebida. "Caso a pessoa faça questão de usar um dos dois, entretanto, o que confere mais sabor é o açúcar", explica a nutricionista Amanda Epifanio, do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen), em São Paulo. O adoçante, segundo ela, deve ser a primeira opção para quem precisa controlar a ingestão de doces ou calorias, como portadores do diabetes. O único problema do adoçante é o fato de poder deixar um gosto residual na bebida que não costuma agradar a maior parte dos paladares. Se, ainda assim, a preferência for pela adição de açúcar ou adoçante, deixe para adicionar os complementos na xícara. Quando se prepara café já adoçado, há formação de uma película de caramelo em torno do recipiente que faz com que o café oxide e perca o sabor mais rapidamente.

Acerte na proporção

De acordo com a gerente Beatriz, para um expresso normal ou curto, é recomendado usar 50 ou 30 ml de água e 7 g de café. "Para um café em pó com filtro de papel, sugiro cinco a seis colheres de sopa de café para cada litro de água", diz. Ela alerta para que a água não chegue ao ponto de fervura e, neste segundo caso, sejam molhadas primeiro as bordas do filtro e depois o centro sem auxílio de colher. A nutricionista Amanda, por sua vez, adverte que não basta respeitar apenas a proporção. "Também é fundamental consumir a bebida com moderação, principalmente quem prefere um café mais forte", afirma. Usá-la para aumentar o estado de atenção após noites mal dormidas, por exemplo, não muda o fato de que seu corpo precisa descansar.

Filtro de papel é mais higiênico

"Filtro de papel é mais higiênico, desde que não seja reutilizado", aponta a coordenadora Cleia. O coador de pano, entretanto, costuma deixar o café mais encorpado, pelo fato de o tecido permitir que o líquido passe mais facilmente por suas paredes. Se esta for sua escolha, muito cuidado com a conservação. "Lave o pano com água quente antes e depois do uso e compre um novo com alguma regularidade", recomenda.

Consuma na hora

Para poder apreciar melhor todas as características do café, inclusive suas propriedades, o ideal é consumi-lo assim que ficar pronto. O café expresso, principalmente, perde seu sabor pouco tempo depois do preparo. O coado dura um pouco mais se preservado em uma garrafa térmica. A nutricionista Amanda aponta, entretanto, aponta que não há qualquer risco em tomá-lo depois de algum tempo de preparo ou feito com água fervente. "Ele mantém seus nutrientes, apesar de perder em sabor", diz.



[ Voltar ]  

Home  |   Produtos  |   Trabalhe Conosco  |   Contato by Hintze Comunicações